Ir para conteúdo principal
Conteúdo Menu Conteúdo Principal

Biblioteca Pública Municipal Frei Miguel

Endereço: Avenida Rio Branco, 317 - Centro

Horário: De segunda a sexta-feira, das 8h às 19h ; aos sábados, das 8h às 12h; nas quartas-feiras, o horário é estendido até 21h.

Telefone: (54) 3462 8167

Site: http://bfm.phlnet.com.br

E-mail: biblioteca@garibaldi.rs.gov.br



A Biblioteca Pública Municipal  Frei Miguel foi criada em 29 de outubro de 1959, por meio da junção do acervo da Biblioteca Municipal, que se localizava na Prefeitura, e do acervo da Biblioteca Rex Populi, fundada em 1948 e administrada pela Ação Católica, um grupo de jovens ligados à ordem dos Frades Capuchinhos. A iniciativa de unir os dois acervos partiu desse grupo de jovens, que promovia atividades culturais e de lazer na cidade. Por isso, a denominação da nova biblioteca ser em homenagem ao religioso Frei Miguel de Alfredo Chaves que, ao assumir a Paróquia São Pedro (Garibaldi e Carlos Barbosa), em 1946, destacou-se na ação pastoral, organizando associações religiosas e movimentos leigos. Após a criação, no entanto, a Biblioteca Frei Miguel não foi disponibilizada de imediato ao público. Por indefinição de um local para sua instalação, ficou por um tempo fechada e, em 1972, ocupou um espaço no prédio que atualmente abriga o Museu Municipal, pertencente, na época, à Sociedade Stella D’Itália. Somente em 1986, a Biblioteca Frei Miguel foi transferida para um espaço em condições de abrigá-la e proporcionar aos estudantes um local adequado para pesquisa.

Em 25 de outubro de 1974, foi firmado um convênio entre a Prefeitura Municipal de Garibaldi, o Estado do Rio Grande do Sul e o Instituto Nacional do Livro para a manutenção da BFM, que passou a ter existência efetiva entre os serviços da municipalidade. Nesse convênio, a Prefeitura responsabilizou-se em disponibilizar o espaço, mobiliário, material bibliográfico e de expediente, bem como designar para a direção da instituição pessoa de reconhecida capacidade para o cargo e atribuir, anualmente, em seu orçamento, uma verba para a renovação do acervo. O Instituto Nacional do Livro, por sua vez, comprometeu-se por fazer uma doação inicial de 450 volumes, que seria complementada com remessas periódicas, como também poderia, quando solicitado, orientar a organização da biblioteca e prestar assistência técnica, a fim de que os serviços prestados disseminassem ao máximo a ação educativa e cultural.

Depois de realizar quatro mudanças de espaço ao longo de sua existência, desde 2009, a BFM ocupa o pavimento térreo de um prédio localizado na região central da cidade. Em um espaço amplo, as estantes de livros estão bem dispostas e promovem boa circulação de pessoas. Mesas para estudo e leitura também compõem a área principal. Além disso, a Biblioteca possui um espaço lúdico para as obras de literatura infantil e juvenil, duas salas de estudo, o Telecentro Comunitário - programa do Ministério das Comunicações –, equipado com dez computadores de acesso público e gratuito conectados à internet. Existe ainda um espaço utilizado como sede de eventos culturais, como apresentações artísticas, saraus poéticos, exposições de arte, palestras, entre outras atividades.

Atualmente, o acervo da BFM é composto por 31.104 exemplares, entre livros, periódicos, jornais e outros materiais, como DVDs. São disponibilizados aos usuários 56 títulos de periódicos, sendo 21 de assinatura corrente, e sete títulos de jornais de circulação local, regional e estadual. A média mensal de empréstimos é de 2.800, e a quantidade de usuários cadastrados é de 7.612 pessoas.

A Biblioteca Pública Municipal Frei Miguel está ligada à Secretaria de Cultura e Turismo, a qual realiza a licitação para a compra dos livros indicados pela bibliotecária. Geralmente, é feita uma aquisição de livros por semestre, envolvendo um orçamento em torno de 10 mil reais por ano. Outra forma menos burocrática de realizar a compra de livros, porque não exige licitação, é através da AFREMI – Associação de Amigos da Biblioteca Frei Miguel, que iniciou suas atividades em 1999, mas teve o estatuto organizado somente em 2014. Trata-se de um grupo de pessoas físicas que promovem atividades a fim de arrecadar fundos para a compra de livros. As multas provindas dos atrasos na devolução dos exemplares também entram no caixa da AFREMI, revertendo-se em livros, agilizando o processo e resolvendo de forma imediata a necessidade urgente de algum exemplar. A BFM também recebe doações de material de leitura do poder público estadual e federal, geralmente obras financiadas pela Lei de Incentivo à Cultura. 

Com informações de Carina Fior Postingher Balzan

Localização

Carregando mapa...

Conteúdo Rodapé